FALE COM A GENTE

 Sindicato dos Trabalhadores em Transportes de Pessoas de Florianópolis e Região

Av. Mauro Ramos, 398 - Centro 

Florianópolis - SC - 88.020-300

 

Fone: (48) 3286.5300


 

NOSSAS

REDES

CADASTRE-SE

Que se manter informado sobre sua vida

profissional? Então se inscreve ai embaixo.

 

© 2019 nucabu com Wix.com

COMO FUNCIONA

Com muito trabalho e dedicação os companheiros ao aceitarem o desafio de estar à frente do Sindicato muitas vezes precisam abrir mão do seu horário de descanso ou ao lado da família para lutar por todos os trabalhadores.


A Diretoria do Sintraturb é eleita pela categoria a cada três anos e tem seus poderes estabelecidos pelo Estatuto do Sindicato. Suas principais funções são: administrar o sindicato e, especialmente, organizar e mobilizar a categoria para lutar por uma vida melhor. Todos os dias existem problemas para resolver, tanto de algum companheiro da base, como da administração do sindicato e ainda as grandes questões políticas da sociedade. Para poder exercer bem a função de Diretor, cada membro da Diretoria tem que se preparar e se qualificar para representar o sindicato e a categoria diante dos Órgãos Públicos, de outros sindicatos e movimentos sociais.  Essa preparação é realização com a participação em muitos cursos e treinamentos.

Tem trabalho todo o dia

Todo o dia os diretores trabalham mais do que a jornada normal da categoria. Os liberados ficam de 10 e até 12 horas em atividade: andando nos terminais, participando de reuniões, cursos, cuidando da administração do sindicato. Os não liberados trabalham na empresa e ainda tem de participar de alguma atividade do sindicato, se preparando para responder as perguntas e cobranças da categoria.


Nos finais de semana ocorrem os cursos, a preparação de atividades para a semana, e o planejamento para a representação do sindicato em outros eventos. O campeonato de futsal, por exemplo, acontece aos sábados e domingos, e a Diretoria acompanha, por 2 a 3 meses, dependendo da tabela de jogos.


Tem o trabalho na Sede Campestre: construção da cerca de arame em torno do terreno, colocação dos tubos de drenagem, corte da grama, poda das árvores, limpeza do terreno, tudo realizado pelos Diretores nos finais de semana, contando com ajuda de alguns companheiros da categoria. 

 

Avaliação semestral

A cada 6 meses tem uma reunião para fazer avaliação do trabalho coletivo e individual dos membros da Diretoria. Cada um avalia o trabalho do outro, recebe elogios e críticas por sua participação, assume tarefas e compromissos para os próximos 6 meses. Quando a avaliação não é positiva, é feita uma conversa e se discute os problemas que estão ocorrendo. Após 6 meses é feita nova avaliação, caso o problema persista, o Diretor é convidado a se retirar e deixar a vaga para alguém que tenha mais vontade e condições de estar na Diretoria do SINTRATURB. 

 

Como são escolhidos os liberados?

O sindicato precisa ter funcionários, assessores e Diretores trabalhando. Os funcionários e assessores são escolhidos pela competência e responsabilidade com o trabalho e a categoria. Os Diretores são eleitos se dividem internamente nas várias Secretarias. O ideal seria liberar todos os Diretores, para estarem a disposição da categoria no sindicato.


A lei obriga os patrões a liberar os dirigentes, mas não obriga o pagamento dos seus salários. O sindicato luta para as empresas, liberar e pagar, os salários de alguns, porque são elas que descumprem a lei e obrigam o sindicato a ter tanto trabalho. Até agora conseguimos em nossa CCT que as empresas liberem 5 (cinco) Diretores para cumprirem seu mandato no sindicato e recebendo seus salários e tíquetes normalmente, pagos pela empresa. Isso é uma grande conquista de nossa categoria. Como são 14 Diretores e somente 5 vagas, é preciso ter uma forma de escolher quais serão os 5 liberados.

 

Com respeito e democracia

Para definir que são os cinco Diretores que serão liberados para o sindicato é realizada uma votação interna, onde cada um dos membros da Diretoria pode votar em quem acha que está mais preparado para estar no dia-a-dia do sindicato. Cada um também pode colocar seu nome para a votação. Os cinco mais votados ficam liberados do trabalho na empresa para cumprirem o mandato trabalhando no sindicato. Seis meses depois acontece nova avaliação e, se o coletivo achar necessário, ou se alguém ainda não liberado solicitar a liberação, é realizada nova escolha de liberados.

 

Os liberados da nova Diretoria

A nova Diretoria do sindicato assumiu o mandato no dia 18 de dezembro de 2007. No dia seguinte fez sua primeira reunião, para organizar o trabalho e decidir quem ficaria liberado. Claro que o pessoal que monta uma chapa e concorre ao sindicato é porque tem afinidades e se conhecem bem. A nova Diretoria fez uma votação e definiu as 5 pessoas liberadas nestes primeiros 6 meses. São eles: Marciano da Silva, Deonísio Linder, Antonio Martins, Anderson Geraldo e Cléverson Dias. Além desses, também está no sindicato o Diretor José Manoel Pereira, o famoso Queixinho, que ainda está afastado da empresa Emflotur discutindo na justiça a sua situação.

 

Quem não é liberado?

O pessoal que não é liberado cumpre sua jornada normal de trabalho na empresa, mas assume algumas tarefas no sindicato. Além disso, é Diretor do sindicato como os liberados, tem poder de decidir igual e deve representar a categoria da mesma forma como se estivesse liberado. Claro que não tem a mesma participação dos liberados, porque tem que cumprir sua jornada na empresa. Mas tem a mesma responsabilidade com a categoria e o sindicato. Os Diretores do sindicato que trabalham nas empresas são liberados 3 dias por mês. Um dia para participar da reunião mensal da Diretoria, um dia para participar de cursos de formação e um dia para andar nos terminais e estacionamentos, conversar com a categoria, se inteirar dos problemas, participando ativamente do trabalho sindical.

 

Os liberados têm salário do sindicato?

Não tem salário pago pelo sindicato. Cada Diretor liberado recebe seu salário e o tíquete alimentação normal da empresa onde trabalha. Como estes companheiros trabalham muito mais horas no sindicato do que se estivessem “na roda”, e não podem fazer um “extra” como quem está na base, recebem do sindicato uma ajuda de custo mensal, equivalente a algumas horas-extras que teriam se estivessem na empresa. É só olhar os balancetes que publicamos mensalmente no Rodão e fica claro tudo o que o sindicato gasta, inclusive com esta ajuda de custo.

 

Diretor do sindicato representa a categoria toda

 

Os Diretores do sindicato, liberados diariamente ou não, representam toda a categoria e não o pessoal da empresa em que trabalha. Ao todo são 9 empresas que atuam no setor de transporte público. Então, se temos apenas 5 liberados e toda a categoria necessita do sindicato, os diretores do sindicato tem que trabalhar muito e em todas as empresas, não apenas na sua. Quem tenta dividir a gente pela cor da camisa são os patrões, mas nós não podemos cair nessa armadilha dos patrões.

 

Os Diretores do sindicato andam com o uniforme da empresa onde são empregados, até porque ninguém pode andar pelado nos terminais. A cor da camisa não significa nada, tanto é verdade que a Diretoria se divide para andar em todos os terminais, estacionamentos, linhas que não vem para o Centro de Floripa. É claro que é impossível para 5 pessoas estarem em todos os lugares ao mesmo tempo, mas em todos os terminais  e outros locais de trabalho, semanalmente, passa algum Diretor do sindicato.

 

Inclusive a gente divide o trabalho e faz rodízio de terminal entre os liberados, exatamente para que todos os Diretores conheçam a realidade de todas as empresas, de todos os terminais e demais locais de trabalho. É por isso que o nosso jornal é entregue nas portas das garagens de madrugada e os Diretores se revezam para cada garagem.